Jun 13, 2009

É preciso ouvir os sinais do corpo

A dor é uma linguagem que pode ser decifrada. Isso porque o corpo, sábio, dá sinais de alerta antes que um determinado problema se configure na consciência.
As terapias corporais, a dança e algumas linhas da psicologia defendem que nosso corpo expressa sentimentos, situações de vida, que nem sempre o cérebro tem coragem de revelar. Isso oferece uma poderosa ferramenta para quem busca se conhecer melhor.

Então, que tal afinar a percepção e ouvir com toda a clareza o que seu corpo está tentando lhe dizer?

O psicólogo Waldemar Magaldi Filho, professor da Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo (Facis), costuma explicar, em suas aulas, a base da psicossomática pela seguinte frase: “O que a boca cala, o corpo fala, e o que a boca fala, o corpo sara”. Na prática, isso significa que algumas doenças têm a capacidade de dizer muito sobre as emoções de alguém e vice-versa.

É evidente que as relações entre o físico e o psíquico são muito mais complexas, mas, pelo menos, servem como ponto de partida para o diálogo mais aprofundado com o corpo. “O organismo expressa as queixas mais íntimas de uma pessoa, muitas vezes súplicas, que estão associadas a um sofrimento psicológico”, afirma o professor.

Aqui vale uma ressalva: inúmeros especialistas consideram um equívoco associar todos os males a fatores psicossomáticos. Eles dizem que essa visão traz um sofrimento dobrado às pessoas. Primeiro pela doença e depois pela “culpa” de tê-la criado.
O livro A Doença como Metáfora, da americana Susan Sontag, que morreu vítima de câncer, em 2004, questiona a falta de respaldo científico dessa tese. Na verdade, o que os críticos argumentam é que a exposição a substâncias nocivas ao corpo, como drogas, corantes, conservantes, poluição, radiação e produtos químicos, em geral, pode determinar doenças que independem das emoções

Nossos medos, dificuldades e ansiedades podem deixar marcas ( sinais) na pele, no coração, em diferentes partes do organismo. Veja algumas associações que o psicólogo Waldemar Magaldi Filho estabelece:

• Problemas de pele e pulmão: dificuldade de relacionamento.
• Problemas de fígado e intestino: raiva contida.
• Problemas no rim: dificuldade de adaptação a novos espaços.
• Problemas no coração e nos vasos sanguíneos: dificuldade para lidar com a pressão do dia-a-dia.
• Problemas em músculos, ossos e cartilagens: angústia diante dos altos e baixos do cotidiano.
• Problemas na tireóide: excesso ou falta de vontade de realizar qualquer atividade.
. Hipertrofia (obesidade e câncer): enfrentamento de adversidades.
• Disfunções (problemas gastrintestinais e epilepsia): fuga de situações ameaçadoras.
• Inflamações (doenças autoimunes e ação de bactérias e vírus): resignação diante da necessidade de se submeter a algo.
• Escleroses (reumatismo e cálculo nos rins): paralisia ante uma imposição da vida.


Leia a matéria completa sobre o assunto aqui

1 comment:

Madalena said...

Muito bom Iza!
E muito a ver com o momento , e a lunação.
Obrigada por este artigo.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin

Atalho do Facebook